Mi (6).JPEG

Eles falam sim! E o que ensinam é ainda mais surpreendente!!!

Comunicação Animal

A comunicação intuitiva animal vai além dos parâmetros mensuráveis pelas tecnologias humanas, é uma porta inesperada que se abre trazendo maiores possibilidades de compreensão da sabedoria que as diferentes espécies têm para nos transmitir.

A comunicação interespécies não é algo novo, é uma realidade honrosa e conhecida há milhares de anos em culturas ancestrais, onde alguns povos buscavam a harmonia e a cura de todos os males através de uma profunda conexão com a natureza. Na atualidade, a pioneira em comunicação telepática foi Penelope Smith e seu trabalho visionário, iniciado no início da década de 70, tem contribuído na capacitação de comunicadores em todo o mundo.

 

Para que a comunicação intuitiva se processe, é necessário que o profissional esteja totalmente presente, centrado, em um profundo estado de amor, humildade, respeito e compaixão. Afinal, trata-se de uma sintonização entre consciências, uma conexão à mais pura essência de outro ser.

 

As respostas que o comunicador busca com a prática, pode ser recebida na forma de pensamentos, ideias, palavras, imagens, sentimentos, sensações pelo corpo, sons na mente, e até mesmo um diálogo a nível mental pode ser processado. Como a comunicação interespécies é um fenômeno telepático, ela vai ocorrer independentemente da proximidade física das partes.

 

Cientificamente, a comunicação intuitiva é uma aptidão humana que pode ser explicada pelo princípio da não localidade, onde dois pontos se conectam instantaneamente através de um processo chamado entrelaçamento quântico, portanto, não se trata de algo sobrenatural, todos somos capazes de desenvolver esta habilidade.

 

Na prática clínica, a comunicação intuitiva é uma ferramenta importante para compreensão e tratamento de distúrbios comportamentais e traumas; pode ajudar na resolução de conflitos entre os animais que convivem no mesmo ambiente; facilita a escolha da abordagem terapêutica mais apropriada aos sintomas apresentados. Através desta técnica, é possível entender as causas dos desequilíbrios identificados no animal, sendo muitas vezes o único recurso para a compreensão do nível de dor que ele está enfrentando. Um ponto bastante gratificante, tanto para o animal quanto para a família, acontece quando se esgotam todas as expectativas de recuperação, e a comunicação intuitiva vem possibilitar a participação do próprio animalzinho na difícil decisão de realizar ou não uma eutanásia.

 

Os animais são seres de luz portadores de extrema sensibilidade e de profunda sabedoria espiritual. Sua missão, no âmbito de uma família multiespécie, está intimamente relacionada com o propósito Divino do amor incondicional.

Mi (1).tif